sexta-feira, 12 de outubro de 2012

A ira de Deus

Quase todos os crentes sabem de cor, o que diz João 3.16.
Mas será que sabem também o que diz João 3.36?

“Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.”

Neste texto, nosso Senhor Jesus Cristo revelou do que foram livrados os que creram nEle: da condenação eterna motivada pela ira de Deus contra o pecado.
Mas, será que Deus deixou de se irar contra os pecados praticados pelos crentes?
O que dizer do caso de Ananias e Safira?
Por que o Senhor lhes visitou com a morte física por terem mentido ao Espírito Santo, retendo parte do preço de uma oferta que haviam dado?
Eles eram crentes, e por isso foram julgados com um juízo de morte física, porque logo no início da formação da igreja, dariam a entender com o seu procedimento que a palavra de Deus na boca dos apóstolos não era a verdade; e importava que a verdade fosse confirmada, especialmente naquela ocasião. Caso ambos fossem ímpios, é bem provável que o Senhor passasse por alto aquela transgressão.
E o que dizer dos crentes de Corinto que estavam sendo visitados com juízos de enfermidades e morte física pelo Senhor?
Paulo lhes havia dado o diagnóstico do juízo que lhes havia sobrevindo da parte de Deus:

“Por isso, aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor, indignamente, será réu do corpo e do sangue do Senhor.
Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e, assim, coma do pão, e beba do cálice; pois quem come e
bebe sem discernir o corpo, come e bebe juízo para si.
Eis a razão por que há entre vós muitos fracos e doentes e não poucos que dormem.
Porque, se nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados.
Mas, quando julgados, somos disciplinados pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo.”  (I Cor 11.27-32)

Tudo isto não fora motivado pelo fato de Deus sempre odiar o pecado, mesmo quando este é praticado por crentes?
Uma coisa é ser livrado da condenação eterna por causa da misericórdia do Senhor, que pode ser manifestada para aqueles nos quais a exigência da Sua justiça foi satisfeita, por ter castigado Jesus no lugar daqueles para os quais tem manifestado a Sua misericórdia para a salvação; e outra coisa, muito diferente é a de que Ele continue se irando contra qualquer prática do pecado, porque a ira santa contra o pecado é um atributo divino que sempre se manifestará onde estiver o pecado.
Um Deus completamente santo e justo não pode suportar o pecado. Ele o extirpa pela justificação e regeneração que há em Cristo, ou então o destrói por um juízo de morte, ainda que esteja sendo longânimo nesta dispensação da graça. Ele já tem fixado um grande dia de juízo, no qual todos terão que comparecer perante Ele, para o ajuste de contas.
Então, não se deve pensar, que por nosso Senhor Jesus Cristo ter morrido na cruz e carregado sobre Si os nossos pecados, que Deus já não se ira mais contra o pecado. E muito menos no caso de ímpios, sobre os quais permanece a Sua ira, conforme palavras do próprio Senhor, em João 3.36:
o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.”

São várias as passagens bíblicas nas quais são reveladas a grande ira de Deus contra o pecado; dentre estas destacamos apenas as seguintes, para os que insistem em dizer que a ira não é um atributo divino.

“Portanto, assim diz o SENHOR Deus: Tempestuoso vento farei irromper no meu furor, e chuva de inundar haverá na minha ira, e pedras de saraivada, na minha indignação, para a consumir.” Eze 13:13
“Porque assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Como se derramou a minha ira e o meu furor sobre os habitantes de Jerusalém, assim se derramará a minha indignação sobre vós, quando entrardes no Egito; sereis objeto de maldição, de espanto, de desprezo e  opróbrio, e não vereis mais este lugar.”  Jer 42:18

“Não executarei o furor da minha ira; não tornarei para destruir a Efraim, porque eu sou Deus e não homem, o Santo no meio de ti; não voltarei em ira.”  Osé 11:9

Neste último versículo citado, vemos que apesar de ser um Deus que se ira contra o pecado, Ele também é piedoso, perdoador, amoroso e misericordioso, e por isso pode reter Sua ira, onde há arrependimento do pecado, porque Jesus pagou o preço exigido pela Justiça divina, para que Sua ira pudesse ser aplacada, nestes que têm fé nEle.


Fonte; Verdade e Vida http://verdadeevida.org/index.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um Comentário

SEJAM BEM VINDOS

Estatisticas